Um dia para ser lembrado

Gol dos Estados Unidos no jogo contra o Chile na Ilha do Retiro pela Copa de 1950 | Imagem: Site da FIFA

Goleada do Chile por 5x2 em cima dos Estados Unidos no Recife foi o único jogo de todo o Nordeste. Em destaque, primeiro gol dos EUA

Chilenos, norte-americanos, brasileiros, jogadores, personalidades, estádio ampliado, tribunas de honra, alambrado, 20 mil lugares, 8,5 mil espectadores, 8,5 mil curiosos ávidos por sentir o gosto do mundo, do Mundial, uma peleja pela Taça Jules Rimet; Jules Rimet em pessoa, o governador, o prefeito, a crônica presente, o coração palpitando pelo futebol. Em 2 de julho de 1950, o Recife, Pernambuco, o Nordeste do Brasil escreveram seus nomes na história do esporte ao sediar a goleada do Chile sobre os Estados Unidos, por 5 a 2, no estádio Ilha do Retiro, pela Copa do Mundo de 1950.

Jornal Pequeno mostrava expectativa para a partida Matéria do Jornal do Commercio chamando para a partida no domingo 2 de Julho. Com imagens das duas equipes Texto do Jornal do Commercio anuciando o jogo

Vencida toda a etapa de preparação para receber a Copa, o Recife torcia para receber um jogo de grande importância. A princípio, Chile x Estados Unidos não teria muito peso porque eram equipes pouco cotadas para avançar à fase final. No entanto a histórica vitória dos norte-americanos sobre a Inglaterra na rodada anterior deu mais destaque ao único confronto realizado no Nordeste do Brasil.

No dia da partida, o Jornal do Commercio exaltou o caráter histórico do jogo e frisou a mobilização para que aquele momento se tornasse possível.

A Ilha do Retiro recebeu um grande público. O número oficial da Fifa é de 8.501 pessoas, a despeito de o Jornal Pequeno haver calculado 20 mil espectadores. A renda ficou na casa de 290 mil cruzeiros. Uma curiosidade infeliz: quem não esteve lá não pode acompanhar nem mesmo pelo rádio. Faltou energia na Ilha do Retiro durante toda a partida e as rádios ficaram impossibilitadas de transmitir. Até mesmo uma rádio chilena.

O JOGO Transcrição da matéria do Jornal do Commercio em 1950

Entrada em campo da seleção do Chile para a partida. À frente, o capitão Sergio Livingstone

Vídeo mostra gols da partida

Os americanos foram os primeiros a apresentar-se em campo, surgindo pelo túnel que liga a vestiário ao campo do lado da entrada do estádio.

Depois, do lado das tribunas apareceu o árbitro Mário Gardelli e seus auxiliares, o boliviano Heyn e o paraguaio Álvarez.

Ao aparecer às vistas do público, o árbitro paulista recebeu forte vaia. É que o nosso público não esqueceu ainda o jôgo realizado em Salvador entre os selecionados pernambucano e baiano pelo campeonato brasileiro, no qual a nossa "équipe" foi abatida por 2x1, com dois "penalties" punidos pelo juiz bandeirante.

Às 14:50, apareceram os chilenos. O "toss" favoreceu aos norteamericanos, que escolheram a barra da entrada, cabendo aos chilenos dar a saída às 15 horas.

Logo nos primeiros minutos os andinos deram mostras de melhor "football", passando a insistir nos ataques.

Atacante Jorge Robledo (à direita), autor do primeiro gol do Chile, disputa bola bola com o americano Maca | Imagem: Jornal Pequeno

Atacante Jorge Robledo (à direita), autor do primeiro gol do Chile, disputa bola bola com o americano Maca | Imagem: Jornal Pequeno

ROBLEDO INAUGURA

Decorriam vinte minutos de jôgo quando Robledo, infiltrado-se, dribla dois adversários e atira com êxito nas redes do arco confiado a Borghi. Era o primeiro "goal" do Chile.

PRIETO AUMENTA

Num ataque pela direita, os chilenos vão à frente e Cremaschi, deslocando-se impedido, o que fugiu às vistas do árbitro e do bandeirinha, também, centra alto para Prieto, de cabeça, marcar o segundo tento dos andinos aos trinta minutos.

E com a contagem de 2x0, a favor do Chile, encerrou-se a primeira fase da peleja.

REAGEM OS NORTEAMERICANOS

Depois do descanso regulamentar, os quadros preliantes retomam suas posições no gramado e os estadunidenses reiniciam a peleja com violenta carga sôbre o posto de Livingstone. Gaetjens correu bem e centra melhor, enquanto Wallace cabeceia para marcar o primeiro tento dos Estados Unidos, aos 30 segundos da fase final.

Nova carga dos norteamericanos que penetram na grande área dos adversários, onde um zagueiro chileno, ao tentar uma rebatida, dá um toque, que foi punido. O zagueiro Maca cobra o tiro máximo convertendo-o no segundo "goal" do seu quadro, com dois minutos apenas de jôgo, estabelecendo o empate de 2x2.

A impressão que deixára a reação dos americanos durou pouco tempo, pois Cremaschi voltou a movimentar o marcador, aos nove minutos, com o terceiro tento dos chilenos. Daí por deante voltaram os andinos a predominar, cabendo a Prieto marcar o quadro "goal" e a Cremaschi encerrar a contagem da partida com o quinto tento dos chilenos, aos 37 minutos da fase final, sendo o jôgo encerrado com o "placard" registrando a vitória da representação do Chile pela contagem de 5x2.

Em campo, Chile e Estados Unidos fizeram um jogo de muitos gols, que animou o público. Os destaques foram os atacantes chilenos Robledo, que marcou o primeiro gol em jogada individual, e Cremaschi, autor de dois gols. Robledo, filho de mãe inglesa e pai chileno, havia se mudado para a Inglaterra desde a infância e era jogador do Newcastle. Mal sabia falar espanhol, mas foi convidado para jogar o Mundial e aceitou.

A crônica esportiva pernambucana, no entanto, sentiu um gostinho de "quero mais". O confronto em si não foi visto como de excepcional qualidade. "O prélio, na sua parte técnica, não chegou, entretanto, a impressionar", disse o Jornal do Commercio. Apesar de o Jornal Pequeno haver feito uma introdução mais otimista ("Chilenos e americanos ofereceram ao público do Nordeste do Brasil um espetáculo dos mais agradáveis"), fez críticas ao futebol das duas equipes, disse que se podia esperar mais dos dois lados, principalmente dos americanos, que mostraram "um 'football' fraco e de poucos valores individuais. (...) Não chegamos mesmo a acreditar como resistiram tão bravamente aos espanhóis e como venceram os ingleses".

Matéria do Jornal do Commercio anuncia vitória do Chile sobre os Estados Unidos

FICHA DO JOGO

CHILE 5 x 2 ESTADOS UNIDOS


Chile: Sergio Livingstone; Manuel Machuca e Manuel Álvarez; Miguel Busquets, Arturo Farías e Carlos Rojas; Fernando Riera, Atilio Cremaschi, Jorge Robledo, Andrés Prieto e Carlos Ibañez. Técnico: Arturo Bucciardi (CHI).

Estados Unidos: Frank Borghi; Harry Keough e Joe Maca; Ed McIlvenny, Charlie Colombo e Walter Bahr; Frank Wallace, Gino Pariani, Joe Gaetjens, John Souza e Ed Souza. Técnico: Bill Jeffrey (Escócia).

Copa do Mundo de 1950

Local: Estádio da Ilha do Retiro, Recife, Pernambuco.
Data: 2 de julho de 1950.
Horário: 15h.

Árbitro: Mário Gardelli (Brasil).
Assistentes: Mario R. Heyen (Paraguai) e Alfredo Álvarez (Bolívia).

Gols: Jorge Robledo (CHI) aos 16' e Atilio Cremaschi (CHI) aos 32' do primeiro tempo; Frank Wallace (USA) aos 2', Joe Maca (USA) aos 3', Andrés Prieto (CHI) aos 9', Atilio Cremaschi (CHI) aos 15' e Fernando Riera (CHI) aos 37' do segundo tempo.

Público: 8501.
Renda: 290 mil cruzeiros.

*Ficha com base nos dados da Fifa.

62 anos depois, o capitão dos Estados Unidos naquela partida, Walter Bahr, tem na ponta da língua uma explicação para a queda de rendimento da equipe em comparação com os confrontos anteriores.

"Foi o primeiro jogo em que o calor foi um fator que influenciou. Eu lembro que faltou gás no segundo tempo. O Chile, não há dúvida, foi um time melhor do que nós. Eles tiveram mais posse de bola, estavam mais preparados", relembra Bahr em entrevista por telefone ao NE10. Confira a entrevista com Walter Bahr na seção Personagens.

O goleiro e capitão do Chile Sergio Livingstone, hoje com 92 anos, guarda na memória a passagem pelo Recife. Ainda trabalhando com futebol, na condição de apresentador de programas esportivos no Chile, se recorda da viagem e da partida.

"Estivemos aí por poucos dias, jogamos e ganhamos por 5 a 2 dos Estados Unidos, o que foi realmente algo notável para o Chile porque os Estados Unidos derrotaram a Inglaterra. Assim ficamos muito contentes", disse Livingstone, em entrevista por telefone. Confira a entrevista com Sergio Livingstone na seção Personagens.

Não há dúvida de que o maior valor de Chile 5 x 2 Estados Unidos é histórico. Por ter sido um jogo de sete gols, por ter tido os intrépidos protagonistas da maior zebra do futebol internacional de todos os tempos, por ter sido a maior goleada da história dos chilenos em Copas do Mundo, por ter sido um jogo de Copa do Mundo, tão aguardado, por ter sido a razão da ampliação de um estádio, por ter sido resultado de um esforço coletivo e até certo ponto independente do poder público, por os torcedores terem se juntado aos operários, por ter sido o único jogo fora do centro político e econômico do País, não se pode dizer menos do que épico para o encontro daquela tarde de domingo.

O "Homem da Copa do Mundo" esteve aqui

Jules Rimet, presidente da Fifa, na tribuna de honra da Ilha do Retiro

Jules Rimet, presidente da Fifa, na tribuna de honra da Ilha do Retiro

O próprio fundador da Copa do Mundo, Jules Rimet, então presidente da Fifa, fez questão de assistir ao "prélio". Rimet chegou ao Recife no sábado, 1º de julho, um dia antes da partida, acompanhado da filha Anette Rimet, e "reuniu à noite, no Grande Hotel, a crônica especializada com quem palestrou sobre assuntos diversos, especialmente da 'Copa do Mundo'". Em entrevista ao Jornal do Commercio, elogiou a capital pernambucana e também Olinda.

"Estive em Olinda, visitando suas igrejas, admirando a conservação das mesmas, principalmente os azulejos, pois pela antiguidade deviam apresentar outro estado. Visitei outros pontos da linda capital pernambucana, passeios proporcionados pelo presidente da Federação Pernambucana, a cuja gentileza sou muito grato", disse Jules Rimet.

Rimet também elogiou o Brasil pela organização do Mundial e comentou a desistência de vários países de participar, por motivos financeiros ou logísticos, algo que havia deixado o Recife um pouco frustrado. "Se soubessem, entretanto, o que seria o atual campeonato, certo de que estariam aqui compartilhando da mesma satisfação de todas as que aqui estão", afirmou o presidente
da Fifa.

Além de Rimet, outras autoridades foram mencionadas pelos jornais: o governador de Pernambuco, Barbosa Lima Sobrinho; o prefeito do Recife, Morais Rêgo; o general Americano Freire; o brigadeiro Alvaro Herskel; o coronel Viriato Medeiros. Sem falar no presidente da Federação Pernambucana de Desportos, Leopoldo Casado, e no presidente do Sport, Severino Almeida.