Iugoslávia deu aula no Recife

Manchetes do Jornal Pequeno sobre a vinda da seleção da Iugoslávia para amistoso contra combinado Sport-Santa Cruz Manchetes do Jornal Pequeno sobre a vinda da seleção da Iugoslávia para amistoso contra combinado Sport-Santa Cruz Europeus se hospedaram no Grande Hotel, no bairoo de Santo Antônio

Europeus se hospedaram no Grande Hotel

Jogo da Copa do Mundo só teve um. Mas o melhor futebol jogado na Ilha do Retiro em 1950 se viu uma semana depois de Chile x Estados Unidos. A forte seleção da Iugoslávia, que quase eliminou o Brasil na primeira fase do Mundial, disputou um amistoso com um combinado Sport-Santa Cruz no domingo 9 de julho. O alto nível dos iugoslavos, que dois anos depois ganhariam a medalha de prata nas Olimpíadas de Helsinque, encheu os olhos da crônica e do público local, na vitória por 5 a 2 sobre os pernambucanos.

Os "itches" - como os jornais da época gostavam de chamar os iugoslavos pela terminação comum da maioria de seus sobrenomes - vieram ao Recife a convite da Federação Pernambucana de Desportos, que pagou 70 mil cruzeiros. Várias outras cidades tentaram levar a seleção para amistosos, mas a equipe fechou apenas com a capital pernambucana. A delegação ficou hospedada no Grande Hotel, que hoje é o Fórum Thomaz de Aquino, na Avenida Martins de Barros, no Bairro de Santo Antônio. O hotel era o mais imponente da cidade.

A equipe da Iugoslávia correspondeu. Foi à Ilha do Retiro praticamente com força máxima. Alinhou com nove titulares da partida contra o Brasil, quando o time precisava apenas de um empate para se classificar para a fase final, mas perdeu e deu adeus à Taça Jules Rimet. E o goleiro reserva, Beara, que atuou no Recife, viria a ser o titular da Copa seguinte.

O Estado escolheu um combinado entre Sport e Santa Cruz porque eram as duas equipes finalistas do último Campeonato Pernambucano. Talvez não fossem os mais fortes naquele momento, porque o campeão de 1950 seria o Náutico, em final contra o América.

Manchetes do Jornal Pequeno sobre a vinda da seleção da Iugoslávia para amistoso contra combinado Sport-Santa Cruz

FICHA DO JOGO

Sport-Santa Cruz 2 x 5 Iugoslávia


Sport-Santa Cruz: Manoelzinho; Chicão e Palito; Mergulho, Alheiros e Guabera; Eloi, Breno, Santos, Detinho e Dario (Jonjoca).

Iugoslávia: Vladimir Beara (Srdjan Mrkusic); Ivan Horvat e Branko Stankovic; Zlatko Chaikovski, Miodrag Jovanovic e Pedrag Djacic; Prvoslav Mihajlovic, Rajko Mitic, Kosta Tomasevic, Stjepan Bobek (Atanackovic) e Bernard Vukas. Técnico: Milorad Arsenijevic.

Amistoso

Local: Estádio da Ilha do Retiro, Recife, Pernambuco.
Data: 9 de julho de 1950.
Horário: 15h.

Árbitro: Fred Lowe.

Gols: Dario (PE) a 1 minuto, Vukas (IUG) aos 9 minutos e aos 29 minutos e Detinho (PE) aos 33 minutos do primeiro tempo; Vukas aos 18, Mitic (IUG) aos 30 e Tomasevic (IUG) aos 35 minutos do segundo tempo.

Renda: 124.850,70 cruzeiros.

Uma das diferenças entre o combinado pernambucano e os adversários era o preparo físico. Os iugoslavos fizeram um longo trabalho de aquecimento no próprio gramado da Ilha antes de a bola rolar. Isso não seria tão sentido no começo do jogo, quando Pernambuco saiu na frente, mas, sim, no segundo tempo, quando a Iugoslávia liquidou.

Matéria do Jornal Pequeno sobre a vitória da Iugoslávia sobre o combinado pernambucano

A realização desse confronto foi enaltecida pelos jornais da época, que não tiveram dúvida ao afirmar que a Iugoslávia jogava um futebol bem melhor que os Estados Unidos e o Chile. De fato, aliviou a certa dose de frustração por não ter havido mais jogos do Mundial no Recife. Nada como um futebol de primeira para deixar todos satisfeitos.

Manchete do Jornal do Commercio sobre a vitória da Iugoslávia sobre o combinado pernambucano