Os capitães

Sergio Livingstone, 92 anos, ex-goleiro chileno com ascendência escocesa. Walter Bahr, 85, norte-americano com avós austríacos. Os dois se encontraram pela primeira e única vez em uma tarde de domingo no Recife. Apertaram as mãos e tiraram o cara ou coroa. Em seguida, dirigiram-se para seus respectivos lados do campo da Ilha do Retiro na condição de capitães do Chile e dos Estados Unidos no confronto pela Copa do Mundo de 1950.

Apesar de passados 62 anos, os dois ainda guardam algumas recordações da viagem e do jogo no Recife. “Uma cidade muito bonita, dividida ao meio por um rio", relembra, por telefone, Sergio Livingstone, o vencedor daquela tarde. Bahr ainda pensa que o clima quente atrapalhou a sua equipe. “Foi o primeiro jogo em que o calor foi um fator que influenciou. Eu lembro que faltou gás no segundo tempo. Mas o Chile, não há dúvida, foi um time melhor do que nós”, reconhece.

Sergio Livingstone (D), ao lado do árbitro Mario Gardelli e de Walter Bahr, antes de o jogo começar na Ilha do Retiro. Imagem: Reprodução.

Expediente



Publicado em 1º/7/2012 - Copyright © 1997- 2012. NE10 - Recife - PE - Brasil.