Clique
para fechar

Antônio e Jaqueline

Jaqueline Maria da Silva, 23 anos, namorou com Antônio da Silva na época em que eles eram adolescentes no Comviva. Depois se separaram e Jaqueline se casou com outra pessoa, com quem teve uma filha, Itauana, hoje com 7 anos. Jaqueline ficou morando com o pai da criança durante cinco anos, mas o casamento não deu certo e ela voltou para a casa da mãe. Após a separação, ela voltou a namorar com Antônio, rapaz de temperamento explosivo desde os tempos do Comviva. Os dois já tiveram várias brigas e, entre idas e vindas, terminaram reatando o namoro mais uma vez. Em junho deste ano, ocorreu uma nova discussão e Antônio bateu em Jaqueline. Não havia sido a primeira vez. Há um ano, em junho de 2012, ele já havia agredido a namorada, mas ela terminou perdoando. Dessa vez, Jaqueline denunciou o rapaz à polícia

Clique
para fechar

Rosinha e Cleibson

De todos os relacionamentos que tiveram início nos tempos do Comviva, o de Cleibson José da Silva, 28 anos, com Rosilene Maria da Silva, 26, mais conhecida como Rosinha, foi o único que permaneceu firme até hoje. Os dois foram morar juntos quando ainda eram adolescentes. Rosinha estava com 13 anos quando desistiu da escola e foi viver com o namorado num quartinho alugado. O casal teve dois filhos, Rosicleide, 9, e Clebson, 1 ano. Eles conseguiram se mudar para uma casa de quarto e sala, localizada em uma das ladeiras do Morro do Bom Jesus, onde vivem graças à ajuda do Bolsa Família. Pelos dois filhos, o casal recebe R$ 180 de benefício. Cleibson também consegue uns trocados carregando frete na feira. Rosinha não trabalha e fica em casa cuidando dos filhos. Apesar da vida difícil, ela diz que está satisfeita porque o casamento já dura 13 anos.

Clique
para fechar

Carlinhos e Josicleide

Os dois se conheceram no Comviva. Carlos Roberto Miguel da Silva, 22 anos, e Josicleide Maria da Silva, 21 anos, tiveram dois filhos, Caroline, 6, e Daniel, 4. Por causa do envolvimento de Carlinhos com o crack, o casal terminou se separando. Josicleide conta que fez de tudo para o ex-marido largar o vício, o que terminou acontecendo, mas quando eles já estavam separados. Os filhos vivem com Josicleide, que toma conta das crianças sozinha. Ela tem um outro filho, Danilo, 3 anos, com outro homem. Nenhum dos pais ajuda financeiramente os filhos. Josicleide chegou a colocá-los na Justiça para tentar conseguir algum tipo de assistência, mas terminou desistindo, diante, segundo ela, da demora e da burocracia da Justiça.

Clique
para fechar

Hélio e Mariclenes

Mariclenes Marques da Silva, 23 anos, tinha 14 anos quando engravidou da primeira filha, fruto do relacionamento com José Hélio dos Santos Silva, na época, com 18. Os dois eram do Comviva, mas Hélio tinha muito mais experiência de vida que a namorada. Ainda na entidade, ele começou a se envolver em assaltos e chegou a ser preso. Mariclenes, apesar dos problemas, decidiu morar com Hélio e teve mais uma filha com ele. Antes de a criança nascer, no entanto, o marido foi assassinado a tiros, no município de São Joaquim do Monte, no Agreste de Pernambuco. Um crime com características de execução. Ela também não chegou a acompanhar o crescimento das filhas. As duas foram criadas pelo avô, o pai de Mariclenes. Quando fala das meninas, a jovem diz que o sentimento que nutre por elas é mais de irmã do que de mãe.

Clique
para fechar

Gilberta e Wallison

Maria Gilberta dos Santos, 25 anos, e Wallison Patrício da Silva, 23, tiveram que enfrentar a resistência da família de ambos para ficar juntos. Eles se conheceram no Comviva e logo começaram a namorar. Por Gilberta morar na favela, a mãe de Wallison não aprovava o relacionamento. Já a mãe de Gilberta era contrária ao namoro porque Wallison era envolvido com roubos e tráfico de drogas. Os dois saíram de casa e chegaram a morar juntos na casa de parentes, mas terminaram se separando. Gilberta casou e teve duas filhas. Wallison também casou, mas não teve filhos. O destino terminou reaproximando os dois, mas não como casal. Por razões diferentes, Gilberta e Wallison vivem hoje dependentes de uma cadeira de rodas. Aos 19 anos, a jovem sofreu uma trombose e, em menos de uma semana, teve as duas pernas amputadas. Já Wallison levou um tiro na guerra do tráfico e ficou paraplégico.