Á­re­a des­ti­na­da à am­pli­a­ção de T.I. vi­ra es­ta­cio­na­men­to de ô­ni­bus

Por Mariana Dantas

Das 239 desapropriações necessárias para as obras do Ramal Externo da Copa de 2014 na Região Metropolitana do Recife, 175 ocorreram na área onde deveria estar em funcionamento, desde junho do ano passado, a ampliação do Terminal Integrado de Passageiros de Camaragibe, no Grande Recife. A construção não saiu do papel e não tem previsão para começar. E agora o espaço dará lugar a um estacionamento de ônibus da Metropolitana/MobiBrasil.

De acordo com ao gerente de Mobilidade da Secretaria das Cidades, Gustavo Gurgel, o estacionamento é temporário e será desativado quando os serviços forem retomados. “Resolvemos dar utilidade à área para evitar que seja invadida”, justifica.

Por meio de nota, o Consórcio Grande Recife também confirmou que o espaço será um estacionamento. “O terminal de Camaragibe será ampliado para melhorar a circulação dos ônibus e também para que área seja utilizada como estocagem para os veículos da MobiBrasil”, traz a nota. Já a MobBrasil não quis dar detalhes de quando começaria a utilizar o espaço. Disse apenas que o Grande Recife, por ser o responsável pela área, é o único que pode repassar informações.

Para as famílias que moravam ali há décadas e foram desapropriadas sob a justificativa de que aquele espaço era de interesse público, ceder o terreno para uma empresa de ônibus é um desrespeito. “Tiraram dos pobres para dar aos ricos. Minha sogra morava aqui há anos e ainda não recebeu a indenização. Hoje ela sofre e a obra nem aconteceu”, afirma Zilda Severina da Silva, 57.

O muro de concreto que cerca o futuro estacionamento de ônibus começou a ser erguido no início do mês passado e ultrapassa a área onde existiam as casas desapropriadas, bloqueando também um trecho da Avenida Timbi, que existe há mais de 40 anos. “Até a nossa avenida eles fecharam. Vamos ficar sem acesso para chegar em casa. Com a saída dos nossos vizinhos, a violência aumentou muito aqui. Esse muro vai piorar a situação, deixar a gente isolado”, reclama Zilda.

Além da ampliação do terminal de ônibus, a obra do Ramal Externo da Capa inclui a construção de quatros vias ligando Camaragibe à Arena Pernambuco e está orçada em R$ 46 milhões. "As empresas do consórcio responsável pelo serviço passam por dificuldade financeira por envolvimento na Operação Lava Jato. Como precisamos levantar o que já foi feito, o Governo decidiu abrir nova licitação no próximo semestre para revisão do projeto. Só depois disso vamos abrir concorrência para a construção do terminal", disse o gerente de Mobilidade, Gustavo Gurgel, sem estabelecer prazos. Ele acredita que o custo da obra deverá permanecer o mesmo.

Para o defensor público de Camaragibe Henrique Seixas, que atua nos processos dos ex-moradores do Loteamento São Francisco, o Governo do Estado deve ser cobrado caso não cumpra o estabelecido no decreto de desapropriação. "Quem tem competência para cobrar e fiscalizar é o Ministério Público. Se houve desvirtuamento da finalidade do decreto, o MP deve acionar o Estado judicialmente para que sejam apuradas as responsabilidades”.

Já imaginou se fosse a sua casa?

Como você reagiria? Deixe sua mensagem aos desapropriados.