Inglaterra
Mais desacreditados do que nunca

Seleção da Inglaterra

Análise

Já fazem 48 anos que a Inglaterra ganhou uma Copa do Mundo, a única diga-se de passagem. Sempre batendo na trave ou tropeçando nos próprios erros, o English Team sequer conseguiu disputar uma final de Copa do Mundo depois de 1966. Nos últimos anos o futebol inglês é elogiado mais pela organização de sua liga, do que pelo futebol de sua seleção. O time de 2014 é jovem, e entre a garotada não há ninguém que carregue nos braços a esperança do torcedor inglês de ser o novo craque do país. Em 1998 Michael Owen, o Golden Boy, era a principal arma para desequilibrar a favor dos ingleses, apesar de estar apenas no auge de seus 19 anos. Uma carreira promissora que tinha tudo para dar certo.

Não deu, Owen acumulou lesões na carreira e nunca conseguiu vingar o craque que um dia fora chamado por seus torcedores. Curiosamente a história de Owen é parecida com a do English Team. As últimas Copas para a Inglaterra tem sido de muitas expectativas antes da bola rolar, e decepção total ao final de cada Mundial. Em 2002 tudo bem, a seleção foi eliminada pelo Brasil, que se consagraria pentacampeão do mundo. Em 2006, derrota para a emergente seleção de Portugal, do garoto promissor e hoje melhor do mundo Cristiano Ronaldo. E em 2010 uma goleada para a Alemanha nas quartas-de-final por 4x1 decretou o fim do sonho inglês em conquistar o segundo título mundial.

Nessas três últimas copas, sempre um time recheado de estrelas, mas que em campo nunca engatou a quinta marcha para acelerar no Mundial. Lampard, Beckham, Gerrard, Ashley Cole e Terry surgiram como promessas, envelheceram e não deram uma Copa aos ingleses. Rooney tinha tudo para superar Boby Charlton, craque e campeão com a Inglaterra em 66, mas não fez, pelo menos na seleção. Está chegando aos 30 anos. Apesar de estar na idade considerada o auge para um jogador de futebol, não chega com tanta badalação assim para o Brasil. O restante da equipe de Roy Hodgson é um misto de experiência com juventude. Seria o ideal, se essa experiência não vivesse a mercê do medo de cair no mata mata (Lampard, Gerrard e Ashley Cole são os exemplos), e se a juventude inglesa tivesse algo diferente para mostrar. A Inglaterra tem tudo para cair na primeira fase no grupo da morte, vendo Itália e Uruguai se classificarem. Se nem os torcedores ingleses estão confiantes, imaginem os adversários quando estiverem à frente do English Team.


Destaque

Rooney

Rooney - o craque do Manchester United e da seleção inglesa já teve momentos mais felizes com as duas camisas que está acostumado a vestir. Mas o Shrek não é o único problema. Tanto os Diabos Vermelhos quanto o English Team não atravessam um bom momento. Aliás a Inglaterra está devendo há muito tempo. Rooney está maduro, 28 anos, e perto de disputar a sua terceira Copa. Era tudo que os ingleses queriam ver, seu craque promissor em condições de carregar a seleção nas costas. O problema é que ele vai precisar de bons operários, e isso está faltando no English Team.

Fique de olho

Hart

Hart - Pobre Inglaterra, demorou tanto para conseguir um camisa 1 seguro e com rótulo de candidato a melhor da posição na Copa, que quando conquistou com Joel Hart, não tem um base forte para dizer que finalmente o English Team está ótimo, do goleiro ao jogador mais avançado. Desde a aposentadoria de Seaman, que nem era tão bom assim, que os torcedores da terra dos Beatles não depositavam tanta confiança em um goleiro. Caberá não só a Hart corresponder a altura, como também salvar a pele de seus companheiros no Brasil.

Treinador

Roy Hodgson

Roy Hodgson - Finalmente uma oportunidade a um técnico inglês para comandar a seleção nacional em uma Copa do Mundo. Desde 1998 na França, quando Glenn Hoddle levou os ingleses até as oitavas de final, onde perderam nos pênaltis para a Argentina, que um britânico não comanda o English Team. O máximo que conseguiram foi Steve McClaren como assistente do sueco Sven-Göran Eriksson na Copa de 2006 na Alemanha. O momento da Inglaterra não é dos melhores, por isso, nada melhor do que ter uma equipe cem por cento inglesa, pois a união é quem faz a força. E desta união a Inglaterra vai precisar muito para tentar aprontar no Brasil.


Time base

Roy Hodgson alterna as funções do principal jogador da equipe, Rooney, em seu esquema de jogo. Inicialmente ele gosta de escalar a Inglaterra no 4-3-1-2 com o craque do Manchester United atuando como meia, ou um falso 9. Sturridge e Sterling forma a dupla de ataque. Na defesa, Jagielka e Cahill não passam muita segurança e já preocupam para a primeira fase devido ao nível dos adversários no grupo. Ao menos o goleiros Joel Hart do Manchester City pode garantir lá atrás. Hoy também pode optar pelo experiente Lampard lo lugar de Henderson e assim deixar o meio de campo mais forte no toque de bola e na marcação. Mas o provável mesmo é que ele monte o English Team com Henderson na cabeça de área.


Convocados

Goleiros:

Gianluigi Buffon (Juventus)
Salvatore Sirigu (Paris Saint-Germain/FRA)
Mattia Perrin (Genoa)

Defensores:

Ignazio Abate (Milan)
Andrea Barzagli (Juventus)
Leonardo Bonucci (Juventus)
Giorgio Chiellini (Juventus)
Matteo Darmian (Torino)
Mattia De Sciglio (Milan)
Gabriel Paletta (Parma)

Meio-campistas:

Alberto Aquilani (Fiorentina)
Antonio Candreva (Lazio)
Daniele De Rossi (Roma)
Claudio Marchisio (Juventus)
Marco Parolo (Parma)
Andrea Pirlo (Juventus)
Thiago Motta (Paris Saint-Germain/FRA)
Marco Verratti (Paris Saint-Germain/FRA)

Atacantes:

Mario Balotelli (Milan)
Antonio Cassano (Parma)
Alessio Cerci (Torino)
Ciro Immobile (Torino)
Lorenzo Insigne (Napoli)

História

A Inglaterra conquistou tem apenas um título de Copa do Mundo. Foi em 1966 quando sediou o Mundial e sagrou-se campeã. Esta será a 14° participação inglesa. Mas a história começou apenas em 1950, já que não estiveram nas três primeiras edições. Os melhores resultados além do título foram as quedas em quartas de final nas Copas de: 1954, 62, 70, 86, 90 e 2002.

Contra o Brasil

O English Team não oferece muito perigo ao Brasil, pelo menos não ofereceu até hoje. Foram quatro jogos, três vitórias verde e amarelas e um empate. É isso mesmo, os inventores do futebol ainda não venceram a nossa seleção em Copas do Mundo.



Palpite: Corre por fora