Estados Unidos
Querendo mostrar o valor do 'soccer'

Seleção de Estados Unidos

Análise

Já faz tempo que os Estados Unidos são meros figurantes no futebol mundial. O lugar comum de dizer que americano não gosta de futebol, que eles chamam de soccer, não existe mais. Basta ver a evolução da equipe em Copa do Mundo, onde não é mais um patinho tão feio. O reflexo disso é o número de torcedores que virão ao Brasil em 2014. Mais de 150 mil norte-americanos desembarcarão em solo brasileiro para curtir o mundial - é o maior número de estrangeiros para a competição.

Para não decepcionar a torcida, a equipe comandada pelo técnico alemão Jürgen Klismann aposta em futebol mais ofensivo do que o habitual. Sem o astro Landon Donovan, deixado de fora da Copa por opção de Klismann, Clint Dempsey é quem tem a tarefa de comandar os Estados Unidos. O meia do Seattle Sounders, todavia, não é uma andorinha solitária no time americano. Os bons jogadores Beasley, Bradley, Zusi e Altidore podem decidir para os norte-americanos se estiverem em um bom dia. Destaque para o jovem, de 26 anos, que pode ser uma válvula de escape caso Dempsey não esteja em um grande dia.

Os americanos, porém, não são uma equipe completa. Se o ataque é relativamente confiável, não pode-se dizer o mesmo da defesa, que não demonstra confiança. A exceção é o goleiro Howard, que já possui experiência internacional e em Copas. A zaga formada por Besler e Gonzalez não inspira confiança a ponto de garantir que os Estados Unidos possam ir mais longe no Mundial.


Destaque

Dempsey

Dempsey. O meia do Seattle Sounders é o maestro da equipe norte-americana, ainda mais sem a presença de Donovan no grupo. Com experiência em Copas, é a liderança não só técnica como mental de toda a equipe dos Estados Unidos. Se Dempsey estiver bem, o time de Klismann pode ir longe.

Fique de olho

Altidore

Altidore. O atacante do Sunderland, da Inglaterra, é a referência de gols do time americano. Como já esteve em uma Copa, a de 2010, na África do Sul, não deve sentir tanto o peso de disputar um Mundial. É bom com os pés, mas principalmente com a cabeça.

Treinador

Jüngen Klismann

Jüngen Klismann. O alemão tem experiência em Copas como jogador e como técnico. Quando era atacante, foi campeão mundial em 1990, na Itália. Como treinador, levou a Alemanha ao terceiro lugar em 2006, na própria Alemanha. Nos Estados Unidos, conseguiu trazer um futebol ofensivo para o time, mas precisa corrigir a defesa.


Time base

Klismann normalmente arma os Estados Unidos com um 4-5-1 em que Altidore é a referência ofensiva. Dempsey é o maestro do time, mas conta com o apoio de Bradley e Zusi. Beasley é o ponto forte pela esquerda.


Convocados

Goleiros:

Brad Guzan (Aston Villa/ING)
Tim Howard (Everton/ING)
Nick Rimando (Real Salt Lake)

Defensores:

DaMarcus Beasley (Puebla/MEX)
Matt Besler (Sporting Kansas City)
John Brooks (Hertha Berlin/ALE)
Geoff Cameron (Stoke City/ING)
Timmy Chandler (Nürnberg/ALE)
Omar Gonzalez (Los Angeles Galaxy)
Fabian Johnson (Hoffenheim/ALE)
DeAndre Yedlin (Seattle Sounders)

Meio-campistas:

Kyle Beckerman (Real Salt Lake)
Alejandro Bedoya (Nantes/FRA)
Michael Bradley (Toronto FC/CAN)
Brad Davis (Houston Dynamo)
Mix Diskerud (Rosenborg/NOR)
Julian Green (Bayern de Munique/ALE)
Jermaine Jones (Besiktas/TUR)
Graham Zusi (Sporting Kansas City)

Atacantes:

Jozy Altidore (Sunderland/ING)
Clint Dempsey (Seattle Sounders)
Aron Johannsson (AZ/HOL)
Chris Wondolowski (San Jose Earthquakes)

História

Os Estados Unidos vem para a sua décima Copa, a sétima seguida. A melhor colocação foi na primeira, em 1930, no Uruguai, quando ficaram em terceiro. Depois disso, o melhor que ocorreu foi um oitavo em 2002, na Coreia do Sul e no Japão.

Contra o Brasil

O único duelo com entre os Estados Unidos e o Brasil ocorreu em 1994, justamente quando os americanos foram sede da competição. Para piorar, o jogo ocorreu em um 4 de julho, dia da independência norte-americana. Apesar desse clima favorável para os americanos, a Seleção Brasileira venceu por 1x0, com gol de Bebeto.



Palpite: Zebra no grupo