Costa Rica
Terminar a Copa sem levar goleadas é a missão

Seleção da Costa Rica

Análise

A seleção da Costa Rica chega para o Mundial no Brasil um pouco mais experiente em relação a última vez que disputou uma Copa, em 2006 na Alemanha. Naquela seleção treinada pelo brasileiro Alexandre Guimarães, não haviam muitos jogadores atuando na Europa, apenas o zagueiro Gilberto Martinez, do Brescia da Itália.Esta falta de experiência pesou no rendimento em campo. Foram três derrotas na fase de grupos (Alemanha, 4x2, Equador, 3x0 e Polônia 2x1) e assim, voltaram para casa mais cedo.No Brasil, os costarriquenhos terão um elenco um pouco mais maduro e preparado.

São três jogadores atuando em três ligas tradicionais da Europa e um na liga norte-americana; Keylor Navas, goleiro do Levante-ESP; Esteban Alvarado, goleiro do AZ Alkmaar-HOL; Junior Díaz, zagueiro do Mainz-ALE e o também zagueiro Roy Miller, do New York Red Bull da Major League Soccer-EUA. Sem falar no atacante Joel Campbell, que pertence ao Arsenal-ING mas está emprestado ao Olympiacos-GRE. O paradigma positivo no entanto cai por água abaixo quando lembramos que a Costa Rica está no 'grupo da morte', o Grupo D, composto por três campeões mundiais - Inglaterra, Itália e Uruguai.

É, mais uma vez 'Los Ticos' levaram azar já no sorteio dos grupos. Em 1990 e em 2002 tiveram o Brasil como adversário na primeira fase. Na Copa seguinte, a anfitriã Alemanha e, desta vez, as 'bolinhas' do sorteio foram ainda mais cruéis com a Costa Rica. Colocaram logo três favoritos ao título. Não poderia ser mais frustrante. Depois de uma bela campanha nas eliminatórias, quando se classificou em segundo lugar e deixou o México para a repescagem, viu a chance de fazer história no Brasil entrar pelo cano. Quem sabe o esquema com três zagueiros e dois laterais, bem defensivos, do técnico Jorge Pinto seja capaz de impedir as prováveis goleadas que deverá tomar.


Destaque

Keylor Navas

Keylor Navas - É o goleiro do Levante da Espanha. A equipe de Valência ficou na décima posição do Espanhol com 48 pontos. Foi uma campanha regular, com 12 vitórias e 12 empates. Navas foi um dos triunfos da boa campanha de sua equipe, além de ser considerado um dos melhores da posição na temporada. Se na Espanha foi dureza para o goleirão, na Copa será o triplo, pois estão no grupo da morte e Navas vai precisar fazer muito mais para evitar os vários gols que deve tomar.

Fique de olho

Joel Campbell

Joel Campbell - É um dos símbolos da Costa Rica. Um dos poucos costarriquenhos a ter o privilégio de defender um clube grande da Inglaterra, o Arsenal. Nem Paulo Wanchope, segundo maior artilheiro da seleção, teve esse privilégio, pois quando jogou a Premier League conseguiu no máximo vestir a camisa do Manchester City, de 2000 a 2004, época em que a equipe não tinha a força que tem atualmente. Por isso o jovem e rápido atacante Joel Campbell terá que superar as expectativas sobre o seu futebol.

Treinador

Jorge Luis Pinto

Jorge Luis Pinto - Motivação é a palavra de ordem no discurso do técnico colombiano para tentar fazer com que a Costa Rica não passe vexame no Mundial. Será muito difícil encarar três campeões mundiais na primeira fase. Jorge Luis Pinto já passou pela Costa Rica entre 2004 e 2005 mas não teve sucesso à frente de "Los Ticos'. Agora, para não manchar mais uma vez a sua passagem no país , terá uma dura missão pela frente.


Time base

3-5-2 - Esta formação que a Costa Rica utiliza nos tempos de hoje, já foi sinal de revolução no futebol um dia, como na Seleção Brasileira campeã mundial de 2002, na Coreia do Sul e Japão. Apesar de pouco utilizado atualmente, o esquema de Jorge Luis Pinto pode surpreender os fortes adversários na fase de grupos.


Convocados

Goleiros:

Keylor Navas (Levante/ESP)
Patrick Pemberton (Alajuelense)
Daniel Cambronero (Herediano)

Defensores:

Johnny Acosta (Alajuelense)
Giancarlo González (Columbus Crew/EUA)
Michael Umaña (Saprissa)
Oscar Duarte (Brujas)
Waylon Francis (Columbus Crew/EUA)
Heiner Mora (Saprissa)
Junior Díaz (Mainz/ALE)
Christian Gamboa (Rosenborg/NOR)
Roy Miller (New York Red Bulls/EUA)

Meio-campistas:

Celso Borges (AIK/SUE)
Christian Bolaños (Kobenhavn/DIN)
Oscar Esteban Granados (Herediano)
Michael Barrantes (Alesund/NOR)
Yeltsin Tejeda (Saprissa)
Diego Calvo (Valerenga/NOR)
José Miguel Cubero (Herediano)

Atacantes:

Bryan Ruiz (PSV/HOL)
Joel Campbell (Olympiacos/GRE)
Randall Brenes (Cartaginés)
Marco Ureña (Kuban Krasnodar/RUS)

História

Esta será a quarta participação da Costa Rica em Mundiais. A primeira foi em 90, onde foi eliminada pela Tchecoslováquia (atual República Tcheca e Eslováquia) nas oitavas de final. Voltaram em 2002, caindo na primeira fase em um grupo formado por Brasil, Turquia e China. A última participação foi em 2006, na Alemanha. Ao lado da anfitriã no Grupo A, ficou na lanterna, atrás da própria Alemanha, do Equador e da Polônia. Tentam repetir o filme de 90, e se possível, um pouco mais. Será muito difícl, tendo em vista que terão que passar por Inglaterra, Itália e Uruguai logo na primeira fase.

Contra o Brasil

Enfrentou a seleção brasileira duas vezes em Copas. A primeira foi na Itália (90), onde se classificaram em segundo no Grupo C, atrás do Brasil. Quando duelaram, vitória por 1x0 do Brasil com gol de Muller. O segundo duelo foi em 2002, também pela fase de grupos. Um sonoro 5a2 com direito a golaço do zagueiro Edmilson, que colocou o Brasil na liderança da chave, enquanto 'Los Ticos' voltaram para casa.



Palpite: zebra