Coreia do Sul
Repetir 2002 é um sonho ainda

Seleção da Coreia do Sul

Análise

Já é a oitava Copa do Mundo da Coreia do Sul - desde de 1986, no México, que os asiáticos disputam Mundiais. A experiência vem fazendo o país ganhar força entre as principais seleções. A Coreia já não é um saco de pancadas nato na competição. Ainda assim, uma campanha como a de 2002, quando sediou a Copa junto com o Japão, é algo distante para a Coreia do Sul, que não tem fôlego, nem qualidade para fazer frente aos grandes favoritos do Mundial. Chegar às semifinais novamente seria uma zebra até maior do que foi a de doze anos atrás.

Todavia, não existem motivos para os coreanos não sonhar. Isso porque, os asiáticos estão em um grupo considerado dentro das possibilidades de avançar para as oitavas de finais. Tirando a Bélgica, que realmente tem um elenco superior, Rússia e Argélia são adversários que estão no mesmo nível da Coreia. O duelo com os russos deve ser o que vai definir quem vai ficar com a segunda vaga na próxima fase já que é difícil acreditar que a Argélia vá fazer frente a asiáticos ou europeus.

O destaque da Coreia do Sul é o poder do ataque, que tradicionalmente é veloz. O trio formado por Heung-Min, Keun-Ho e Shin-Wook não guarda posição dentro do gramado e dá muito trabalho para as defesas adversárias. Heung Min é o mais experiente do três não pela idade, 21 anos, mas pela vivência internacional - ele joga no Bayern Leverkusen, da Alemanha. O atacante é a referência técnica do grupo e principal esperança dos coreanos para uma boa campanha. O problema da Coreia, além do fato de não ter tanta tradição e jogadores de qualidade é que falta um matador nato no time.


Destaque

Son Heung-Min

Son Heung-Min. O jogador é considerado uma sensação na Coreia do Sul. Ele fez boa temporada no Leverkusen e já desperou o interesse de alguns grandes clubes como o Borussia Dortmund, também da Alemanha. O atacante é versátil e chega com muita velocidade ao ataque. Apesar da pouca idade, é quem de fato lidera os asiáticos.

Fique de olho

Ki Sung-Yeung

Ki Sung-Yeung. O jogador é o principal armador da Coreia. Toda jogada de ataque começa por ele. O volante sabe defender e atacar. Joga no Campeonato Inglês e fez boa temporada marcando três gols pelo Swansea.

Treinador

Hong Myung-Bo

Hong Myung-Bo. Ele foi jogador da Coreia do Sul em quatro Copa do Mundo - 90, Itália, 94, Estados Unidos, 98, França, e 2002, no próprio país e no Japão. Como treinador, conseguiu renovar a seleção coreana, que chega jovem para a Copa do Mundo.


Time base

Os coreanos normalmente jogam buscando o ataque em um 4-3-3. Heung-Min e Shin-Wook ficam nas pontas, enquanto Keun-Ho é quem joga mais centralizado. O trio, todavia, não fica preso a essas posições e se movimenta muito dando trabalho.


Convocados

Goleiros:

Jung Sung-Ryong (Suwon Bluewings)
Kim Seung-Gyu (Ulsan Hyundai)
Lee Bum-Young (Busan I Park)

Defensores:

Kim Jin-Su (Albirex Niigata)
Kim Young-Gwon (Guangzhou Evergrande)
Yoon Suk-Young (Queens Park Rangers/ING)
Hwang Seok-Ho (Sanfrecce Hiroshima/JAP)
Hong Jeong-Ho (Augsburg/ALE)
Kwak Tae-Hwi (Al Hilal/ARS)
Lee Yong (Ulsan Hyundai)
Kim Chang-Su (Kashiwa Reysol/JAP)

Meio-campistas:

Ki Sung-Yueng (Sunderland/ING)
Ha Dae-Sung (Beijing Guoan/CHN)
Han Kook-Young (Kashiwa Reysol/JAP)
Park Jong-Woo (Guangzhou R&F/CHN)
Kim Bo-Kyung (Cardiff City/GAL)
Lee Chung-Yong (Bolton Wanderers/ING)
Ji Dong-Won (Augsburg/ALE)
Son Heung-Min (Bayer Leverkusen/ALE)

Atacantes:

Koo Ja-Cheol (Mainz/ALE)
Lee Keun-Ho (Sangju Sangmu)
Park Chu-Young (Watford/ALE)
Kim Shin-Wook (Ulsan Hyundai)

História

É a nona Copa da Coreia, sendo a oitava seguida. A estreia ocorreu em 1954, na Suíça. A melhor colocação foi quando atuou em casa, em 2002. Os coreanos ficaram em quarto batendo gigantes como Itália e Espanha. No último Mundial, na África do Sul, ficou em 15º.

Contra o Brasil

Nunca enfrentou a Seleção Brasileira em Copas.



Palpite: Figurante