Austrália
Experiente, mas sem fôlego pra disputa

Seleção da Austrália

Análise

Em sua terceira participação consecutiva em Mundiais, a Austrália chega à Copa do Brasil como a equipe mais propensa a já deixar a competição na fase de grupos. Como se já não bastasse cair no grupo da campeã Espanha, do Chile e da Holanda, os Socceroos vêm de uma campanha desequilibrada e cheia de tropeços nas eliminatórias.

Diferente da disputa por uma vaga na Copa de 2010, quando se classificou com duas rodadas de antecedência, a Austrália venceu a Tailândia com após uma virada que resultou num placar apertado. Depois chegaram a empatar com Omã e Japão e perderam para a Jordânia por 2x1. Para reagir, tiveram que passar por dois empates para chegar a uma goleada sobre a Jordânia por 4x0 e uma vitória apertada por 1x0 contra o Iraque, que garantiu a classificação.

Além da fase complicada, dois jogadores considerados importantes não entraram na lista de convocados para o Mundial no Brasil. O meia Mark Kewell, de 35 anos, anunciou sua aposentadoria e Mark Schwazer se recusou a voltar a jogar pela seleção. Aos 41 anos, o goleiro defendeu as redes australianas por vinte anos e é recordista de partidas pela seleção com 109 jogos.

Apesar disso, o ponto alto da equipe é a experiência da maioria dos jogadores. É o caso de Tim Cahill, destaque da seleção. O meia de 34 anos joga pelo New York Red Bullse disputou as duas últimas Copas do Mundo. Resta saber se a bagagem do time vai ser suficiente para encarar um dos grupos mais competitivos deste Mundial.


Destaque

Tim Cahill

Tim Cahill. Em sua terceira Copa defendendo os Socceroos, o meia continua sendo o jogador de referência do time. Além disso, possui média de gols alta para meio-campistas em Copa do Mundo. Marcou dois gols na Alemanha, em 2006, e um na África do Sul, em 2010.

Fique de olho

Tommy Oar

Tommy Oar. O meia de 22 anos faz no Brasil a sua estreia em Copas do Mundo. Joga no Utrecht, na Holanda, desde os 18 anos e vem conquistando seu espaço no time de Anfe Postecoglou. Em treze partidas pela Austrália marcou um gol.

Treinador

Ange Postecoglou

Ange Postecoglou. Esta vai ser a primeira Copa de Postecoglou. O técnico de 48 anos é considerado o mais bem-sucedido dos comandantes australianos e já treinou times importantes da Oceania como o Panachaiki, o Brisbane Roar e o Melbourne Victory. Com o último clube conseguiu garantir o título na Copa dos Campeões da Oceania em 1999.


Time base

Armada no 4-2-1-3, a Austrália começa as partidas pressionando a saída de bola dos adversários. Durante o jogo pode ainda se movimentar através de um 4-4-2, fechando-se mais na defesa e com Tim Cahill partindo também para as finalizações.


Convocados

Goleiros:

Eugene Galekovic (Adelaide United)
Mitchell Langerak (Borussia Dortmund/ALE)
Mat Ryan (Brugge/BEL)

Defensores:

Jason Davidson (Heracles Almelo/HOL)
Ivan Franjic (Brisbane Roar)
Ryan McGowan (Shandong Luneng/CHN)
Matthew Spiranovic (Western Sydney Wanderers)
Alex Wilkinson (Jeonbuk Hyundai/CDS)
Luke Wilkshire (Dinamo Moscou/RUS)

Meio-campistas:

Oliver Bozanic (Luzern/SUI)
Mark Bresciano (Al Gharafa/CAT)
James Holland (Austria Vienna/AUT)
Mile Jedinak (Crystal Palace/ING)
Massimo Luongo (Swindon Town/ING)
Matthew McKay (Brisbane Roar)
Mark Milligan (Melbourne Victory)
Tommy Oar (Utrecht/HOL)
James Troisi (Melbourne Victory)
Dario Vidosic (Sion/SUI)
Tim Cahill (New York Red Bulls/EUA)

Atacantes:

Ben Halloran (Fortuna Düsseldorf/ALE)
Matthew Leckie (Frankfurt/ALE)
Adam Taggart (Newcastle Jets)

História

A Austrália só participou de três Copas do Mundo até agora. Em sua estreia, no Mundial de 1974, foi a campo com um time formado por amadores e voltou pra casa sem marcar um gol, com apenas um ponto anotado. Sua segunda participação só veio em 2006, quando chegaram às oitavas-de-final, mas foram derrotados pela Itália. Na África do Sul, foram desclassificados ainda na fase de grupos após derrota por 4x0 para a Holanda.

Contra o Brasil

Foram sete partidas contra a Seleção Brasileira. Dessas, a Austrália só conseguiu vencer uma, na Copa das Confederações de 2001, por 1x0. O Brasil venceu cinco vezes. A última, inclusive, foi no ano passado, em um amistoso na cidade de Brasília. A seleção canarinho goleou os Socceroos por 6x0.



Palpite: Zebra