A eles, os aplausos!

Pernambuco comemora em 2007 cem anos de frevo. Muitos nomes participaram da trajetória desta incrível simbiose de música e dança, indiscutivelmente nascida, cultivada, celebrada em nossos carnavais. O JC OnLine estréia esta seção com alguns depoimentos em vídeo e promete "frever" com outras histórias. Aguardem!

Capiba
Suas composições tornaram-se célebres: Cala a boca menino, Madeira que cupim não rói e Oh! Bela, frevos imortalizados no Carnaval pernambucano, são apenas algumas delas. Lourenço da Fonseca Barbosa, o Capiba, nascido em Surubim em 1904, viveu e respirou música desde a infância. Seu primeiro grande sucesso nacional foi a canção Maria Betânia, gravada por Nelson Gonçalves, em 1945. Seus frevos-canção tornaram-se mais conhecidos no final da década de 50, com o lançamento pela gravadora Rozenblit, do LP Capiba 25 Anos de Frevo, interpretados por Claudionor Germano. Capiba faleceu em 1997, mas estima-se que ainda existam centenas de composições inéditas.

Edgard Moraes
Um dos únicos grandes nomes do frevo que nasceu no Recife, em 1904, Edgard Moraes criou, dirigiu e participou de diversos blocos - Pirilampos, Príncipe dos Príncipes, Lobos de Afogados, Um Dia de Carnaval, Camponeses em Folia, Rebeldes Imperial, Corações Futuristas, Turunas de São José, Batutas de São José, Galo Misterioso e Madeira do Rosarinho. Faleceu em 1973, poucas semanas depois do primeiro desfile do Bloco da Saudade, idealizado por ele na marcha Valores do Passado (composta em 1962), uma belíssima homenagem a 24 extintos do Carnaval do Recife.

Nelson Ferreira
Considerado um dos mais importantes compositores da Música Popular Brasileira, Nelson Heráclito Alves Ferreira é natural de Bonito, Agreste do Estado. Nascido em 1902, iniciou sua vasta obra aos 14 anos quando compôs
Vitória. Sua primeira composição gravada foi Borboleta não é ave, na década de 20. Sua marca está no catálogo da extinta Rozenblit, da qual foi, durante anos, diretor artístico. Suas evocações foram notáveis. A primeira delas, intitulada simplesmente Evocação, de 1957, foi sucesso nacional, sendo a música mais tocada no carnaval carioca da época.

Maestro Duda Vídeo com Maestro Duda
José Ursicino da Silva, mais conhecido como maestro Duda, nasceu em Goiana, Interior de Pernambuco, em 23 de dezembro de 1935. Aos oito anos começou a estudar música, aos dez já era integrante da banda Saboeira e logo escrevia sua primeira composição, o frevo Furacão. Hoje é um dos maiores regentes, compositores, arranjadores e intrumentista do Estado. Formou várias bandas de frevo, muitas eleitas nos carnavais como as melhores do ano. Num concurso promovido pela Globo, Shell e Associação Brasileira de Produtores de Discos recebeu o prêmio de melhor arranjo de música popular brasileira (1980).

Maestro José Menezes Vídeo com Maestro José Menezes
Natural de Nazaré da Mata, Interior do Estado, José Xavier de Menezes, 83 anos, é bacharel em direito, mas sua maior contribuição não foi na área jurídica. Menezes ficou conhecido mesmo foi como instrumentista, arranjador, compositor e regente de frevos. Sua obra encontra-se preservada em 118 gravações, entre 1949 e 1997, na sua maioria frevos-de-rua, canção e de bloco. No ano 2000, foi o homenageado do Carnaval do Recife, em comemoração aos 50 anos de sua primeira composição de sucesso, o frevo Freio a óleo.

Maestro Nunes Vídeo com Maestro Nunes
No município de Vicência nasceu José Nunes de Souza, o maestro Nunes, em 1931. Bem cedo, aos 9 anos, já tocava em bandas de cidades do Interior. Em 1950 veio para o Recife, onde integrou diversas bandas, como a Banda Manoel Óleo, União Operária da Macaxeira e Banda do Liceu de Artes e Ofícios. Também participou da Banda do Cassino Americano e da Banda da Cidade do Recife. Nunes aperfeiçoou o dom de criança formando-se em música na Universidade Federal de Pernambuco e regência na Faculdade de Filosofia do Recife. No ano do centenário do frevo, será o grande homenageado do Carnaval do Recife.

Maestro Spok Vídeo com Maestro Spok
O "caçula" da turma de grandes maestros de frevo pernambucanos nasceu em Igarassu, mas logo cedo mudou-se para Abreu e Lima, onde teve o primeiro contato com a música através do professor Policarpo Lira Filho (Maninho). Inaldo Cavalcante de Albuquerque mudou-se para o Recife na década de 80 e passou a trabalhar com maestros como Ademir Araújo, Clóvis Pereira e Guedes Peixoto. O maestro Spok, hoje com 36 anos,incorporou com grande dimensão o improviso, adicionando às composições originais de frevo novos arranjos.

Antônio Carlos Nóbrega Vídeo com Antônio Carlos Nóbrega
Quem conhece Antônio Carlos Nóbrega no palco não imagina que ele tem 54 anos, muitos deles dedicados à divulgação da cultura pernambucana. Nóbrega nasceu no Recife e começou a se "musicalizar" aos 10 anos de idade, quando entrou na Escola de Belas Artes. Conheceu o frevo, como também outras manifestações populares, a partir de seu encontro com Ariano Suassuna no Quinteto Armorial. Mas o encanto com o frevo, gênero que chama de instituição cultural, aconteceu através de sua dança. Há quatro anos, Nóbrega realiza o Arrastão do Frevo no dia 9 de fevereiro. Em 2006 presenteou o público com o espetáculo Nove de Frevereiro, todo dedicado ao gênero musical.

Claudionor Germano Vídeo com Claudionor Germano
O cantor Claudionor Germano nasceu no Recife e foi escolhido pelos compositores Capiba e Nelson Ferreira como principal intérprete de suas músicas. Com vários discos gravados, é hoje o mais respeitado cantor de frevo do Estado. Em 2006 foi o homenageado, ao lado de Ariano Suassuna, do Carnaval do Recife.